Vereadora Gleiva pede correção de defasagem salarial de professores

Ela informou que foi feita uma reunião com a prefeita Maria Cecília Marchi Borges (Ciça) e a promotora Daniela Campos de Abreu Serra com o objetivo de tratar da questão do piso salarial do magistério.

Publicado em: 03 de abril de 2019

A fim de corrigir uma defasagem salarial que ocorre desde o ano de 2016, a vereadora Gleiva Ferreira de Melo apresentou uma indicação na qual pede a revisão da matriz salarial dos professores da rede municipal de ensino. A indicação – que foi aprovada pela Câmara – foi feita com base nessa defasagem que gira em torno de 15% ao longo dos últimos anos.

Gleiva ressalta que essa matriz tem ser revista com urgência porque realmente existe uma defasagem. “Temos que valorizar e respeitar o nossos professores da rede municipal”, declara. Ela informou que foi feita uma reunião com a prefeita Maria Cecília Marchi Borges (Ciça) e a promotora Daniela Campos de Abreu Serra com o objetivo de tratar da questão do piso salarial do magistério.

A vereadora esclarece que existem duas leis distintas, uma que rege o estatuto do servidor e outro o plano de carreira do magistério. Houve uma revisão salarial dos servidores, porém o mesmo não ocorreu com os professores. “Tivemos essa reunião e estamos na expectativa de que ocorra esse reajuste. Estamos aguardando um posicionamento em relação à correção do piso nacional dos professores, com urgência, já que está defasado”, frisa.

 

TICKET ALIMENTAÇÃO

Em outra indicação, Gleiva pediu que a volta do ticket de alimentação para os servidores que ganham acima de R$ 2.500,00. De acordo com ela, esse benefício era concedido anteriormente, entretanto, a prefeita Ciça o cortou a fim de conter despesas.

Conforme destaca, o Governo de Minas está colocando as contas em ordem e voltando a realizar os repasses aos municípios. “As coisas estão melhorando, as contas sendo pagas em dia. Por isso, pedimos que volte a pagar esse ticket para os servidores que ganham mais de R$ 2.500,00”, comenta.

Ela observa que com os descontos, esses servidores têm uma redução grande em seus vencimentos e o ticket faria a diferença ao receber o salário. Gleiva pediu ainda que o valor do ticket que é de R$ 150,00 seja reajustado para R$ 260,00.


Publicado por: Assessoria de Imprensa

Cadastre-se e receba notícias em seu email