Gleiva pede vacinação contra H1N1 para rede de ensino

Publicado em: 28 de março de 2016

Gleiva pede vacinação contra H1N1 para rede de ensino A estação mais seca, com ventos e prenúncio do inverno chegou. E com ela as preocupações concernentes às doenças relativas ao aparelho respiratório humano. “O outono mal iniciou e já existem inúmeros casos de gripe que se agravam com a H1N1 que vitimou um frutalense recentemente. Além disso, como se não bastassem as doenças conhecidas, ainda tivemos o surgimento de males nunca vistos como é o caso do Zica Vírus e da Febre Chikungunya, além é claro, da famigerada Dengue, todas transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, segundo estudos de pesquisadores da área. Temos que fazer alguma coisa e providenciar meios de proteger nossos frutalenses, em particular aqueles que pertencem a grupos de risco como gestantes, recém-nascidos e idosos.”, alertou a Vereadora Gleiva Ferreira de Mello, durante a reunião do Legislativo Frutalense desta segunda-feira, 28 de março do corrente. Gleiva alerta que existem casos já em diversas cidades conforme matéria veiculada pela revista televisionada pela Rede Globo, Fantástico, neste domingo passado, “e em Frutal estamos muito assustados com o número de casos.”, salientou a vereadora. Assim sendo, Gleiva Mello propôs a Indicação nº0182/2016 ao Prefeito Mauri Alves e pastas responsáveis para que se disponibilize também a vacina contra a gripe H1N1 para os professores e servidores das redes municipal e estadual do Município de Frutal, para que assim se evitem paralisações e, pior, riscos para um setor que não pode parar. Gleiva lembra que ainda no mandato da Prefeita Maria Cecília Marchi Borges os professores e servidores foram vacinados e que até o momento, nesta administração, não ocorreu a proteção adicional. “Nós temos, hoje, além de clima propício à proliferação desses insetos vetores das doenças, condições mais que favoráveis para os criadouros. Frutal está cheia de buracos e muita água parada e isso somente agrava a situação. No CEMEI ao qual pertenço, convivemos com trezentas e quarenta (340) crianças onde doenças quase crônicas são costumeiras como estomatite, gripes comuns e agora zica, chikungunya e a dengue vem nos assombrar, além da mortal H1N1.”, alerta a Veredora Gleiva Ferreira de Mello.


Publicado por: Asscom

Cadastre-se e receba notícias em seu email